Oxum



Oxum é a Divindade que está assentada no Trono Mineral, o Trono do Amor, e atua na vida dos seres estimulando em cada um os sentimentos de amor, fraternidade e união.

Seu elemento é o mineral. Suas vibrações, magnetismo e irradiações planetárias atuam sobre os seres estimulado os sentidos de amor e acelerando a união e a concepção.

Beleza, vaidade e sensualidade. Estes são atributos que Mãe Oxum, a “deusa” do amor da Umbanda, guarda e estimula nos seres. Ela rege também a fertilidade e o poder de gestação. Tida como senhora das águas doces que irrigam os campos, atua na geração da fartura e, por isso, identifica-se com todas as manifestações de riqueza.

Oxum está em tudo, pois, se amamos algo ou alguém é porque ela está dentro de nós. Como o rio, que sempre caminha pro mar, Oxum na Umbanda está diretamente ligada à Rainha do Mar, encabeçando a legião das sereias de águas doces.

Oxum é a força dos rios que correm sempre adiante, levando e distribuindo pelo mundo sua água que mata a sede. É a Mãe da água doce e Rainha das cachoeiras. Orixá da prosperidade e da riqueza interior, ela é a manifestação do Amor, puro, real, maduro, sensível e incondicional, por isso é associada à maternidade e ligada ao desenvolvimento da criança ainda no ventre da mãe. É Oxum que gera o nascimento de novas vidas que estarão no período de gestação numa bolsa de água – como ela, Oxum, rainha das águas.

É Ela também que “tomará conta” até o nascimento, quando então entrega a Iemanjá, que será responsável pelo destino daquela criança. Oxum é a mãe das crianças, seres inocentes e sem maldade, zelando por elas desde o ventre até que adquiram a sua independência. Os seus filhos são a sua maior riqueza.

Oxum é o amor; é a capacidade de sentir amor.

Irradiação: Amor

Campo de atuação: Agregadora e Conceptiva

Elementos: Mineral e Água Doce

Cores: Rosa (também o azul e o dourado)

Data comemorativa: 12 de outubro e 08 de dezembro

Dia da semana: Quinta-feira

Sincretismo: Nossa Senhora

Oxumaré



É a Divindade que está assentada no Trono do Amor. Atua na vida dos seres para absorver, diluir e corrigir os desequilíbrios no campo do amor além de irradiar Energias de renovação.

Seus principais Fatores são o Diluidor e o Renovador, pois a Energia de Oxumaré se movimenta por meio de uma onda dupla: uma onda dilui as negatividades dos seres e a outra onda, simultaneamente, os renova.

Essa onda dupla é simbolizada por duas serpentes entrelaçadas num eixo vertical. E aqui surge um dos Mistérios de Oxumaré: o Mistério Cobra ou Serpente. Mas esta “serpente” não se refere ao animal, pois ela representa a kundalini, um tipo de Energia que circula no chakra básico. A Energia kundalini não é apenas uma energia sexual; é a energia da alegria, da satisfação e do prazer de viver.

Pai Oxumaré nos ampara e auxilia em todas as dificuldades no campo do amor, da afetividade no geral e do relacionar-se com o outro. Quando alimentamos ódio, ciúmes, ressentimentos e mágoas ou dificuldades no campo da sexualidade, por exemplo, podemos pedir a Ele que dilua esses sentimentos negativos e renove o nosso íntimo, curando esses bloqueios indesejáveis.

Irradiação: Amor

Campo de atuação: Renovador e Agregador

Elementos: Mineral e Aquático

Cores: Azul turquesa e Azul claro

Data comemorativa: 24 de agosto

Dia da semana: Terça-feira

Sincretismo: São Bartolomeu